180
Aços revestidos

Proteção contra corrosão com revestimento de zinco

O revestimento de zinco (Z) produzido em ambos os lados por galvanização por imersão a quente aumenta a vida útil do produto final, pois protege o aço contra a corrosão.

O processo contínuo de galvanização por imersão a quente oferece uma ampla faixa de proteção de Z100 a Z600, além de uma forte união entre o revestimento e o aço. Essas propriedades tornam os revestimentos de zinco ideais para conformação e atmosferas corrosivas.

A composição do revestimento de zinco consiste praticamente de zinco puro (>99%) e não contém chumbo, o que resulta em um filme de zinco finamente cristalizado, que atende os exigentes requisitos de aparência. A resistência à corrosão oferecida pelo revestimento de zinco está em proporção direta à espessura do revestimento. O revestimento Z600 (42 µm em ambos os lados) pode ter uma vida útil de até 80 anos. Portanto, em certas aplicações, a galvanização em lote de componentes acabados pode ser substituída pela utilização de chapas de aço revestidas com o Z450 ou Z600, o que simplifica a cadeia geral de processos.

Devido à natureza sacrifical do zinco, o revestimento oferece proteção contra corrosão para áreas de superfícies de aço expostas, tais como lâminas cortantes e áreas onde o revestimento está danificado (riscos, impactos, etc.). A proteção total contra a corrosão também é obtida em áreas que sofreram intensa conformação, pois a tendência de desprendimento de revestimentos de baixa fricção e alta adesão é baixa.

A SSAB oferece revestimentos de zinco com diferentes espessuras de revestimento, qualidades e tratamentos de superfície, para atender às exigências de várias aplicações.

Espessura do revestimento

Designação do revestimento Massa mínima total do revestimento, ambas as superfícies (g/m2) * Valor de referência para espessura de revestimento por superfície, típico (μm)
Z100 100 7
Z140 140 10
Z180 180 13
Z200 200 14
Z225 225 16
Z275 275 20
Z350 350 25
Z450 450 32
Z600 600 42

* no teste por pontos triplos

Além dessas espessuras de revestimento de zinco definidas de acordo com a norma EN10346:2015, a oferta contém diferentes revestimentos assimétricos, revestimentos com massa mínima idêntica de revestimento por superfície, bem como outras especificações do fabricante original do equipamento que encontram-se disponível mediante solicitação.

Processamento de aços galvanizados

Conformação

Em geral, o revestimento de zinco (Z) resiste a deformações críticas, graças à sua ductilidade e bom comportamento de atrito. Por consequência, os mesmos processos de conformação normalmente usados em aços não revestidos podem ser aplicados em aços galvanizados, sem quaisquer modificações importantes às condições do processo. Pequenas diferenças no comportamento da superfície podem exigir algumas mudanças, tais como na lubrificação, geometria das ferramentas e forças de sustentação. O revestimento metálico possui a vantajosa característica de agir como lubrificante, o que funciona muito bem com pressões de superfície baixas e moderadas que ocorrem durante a conformação. O desempenho de dobra das chapas com revestimento de zinco com massas de até 275g/m2 pode ser considerado idêntico ao das chapas não revestidas correspondentes.

A conformação bem feita de aços com revestimento metálico depende das seleções feitas em relação à geometria do componente, ao grau de aço, ao tipo e espessura do revestimento metálico, à qualidade e à proteção da superfície, bem como uma ferramenta utilizada na conformação. 

Soldagem

Os aços com revestimento metálico podem ser soldados por várias técnicas de soldagem, incluindo diferentes métodos de soldagem por resistência, a laser e a arco elétrico. Quando as recomendações de soldagem são seguidas, as propriedades mecânicas das juntas soldadas são comparáveis àquelas dos aços não revestidos. 

Os métodos de soldagem por resistência, tais como a solda a ponto, são os mais comuns e proporcionam excelentes resultados com aços com revestimento metálico. As vantajosas propriedades anticorrosão do revestimento à base de zinco permanecem na área da solda a ponto adequadamente realizada. A solda a ponto de materiais com revestimento metálico exige uma corrente e força de eletrodos um pouco maiores do que em aços não revestidos, devido a uma resistência de contato menor do revestimento. De maneira similar, o aumento na espessura do revestimento aumenta levemente a corrente de soldagem requerida. Por isso, a fim de melhorar a soldabilidade e obter uma maior vida útil dos eletrodos de soldagem, recomendamos evitar revestimentos desnecessariamente espessos em aplicações de soldagem. O revestimento Galvannealed (ZF, galvanizado e recozido) é recomendado para aplicações de soldagem por resistência com várias soldas.

A soldagem a laser também é ideal para materiais com revestimento metálico, graças à solda estreita (apenas alguns mm) e o baixo aporte térmico. Quando são usados quaisquer métodos de soldagem por fusão, o aporte térmico deve ser o mínimo possível, a fim de limitar a zona aquecida da chapa com revestimento metálico. Similarmente como ocorre em áreas arranhadas do revestimento, o efeito sacrificial do revestimento à base de zinco oferece proteção catódica contra corrosão também em soldas estreitas. No entanto, após o processo de soldagem por fusão, recomendamos que a área da solda seja pintada ou protegida por outro revestimento apropriado.

É preciso haver uma ventilação adequada do local de trabalho, pois a soldagem de aços com revestimento à base de zinco produz fumos que contêm óxido de zinco. 

União

Todos os revestimentos à base de zinco são adequadas para união por colas adesivas, contanto que a superfície seja compatível com o adesivo usado (de epóxi, acrílico ou poliuretano). Uma das vantagens da união por colas adesivas é que ela preserva as propriedades anticorrosivas do revestimento, pois ele basicamente permanece intacto na área de união. A fim de assegurar uma boa adesão, quaisquer resquícios de óleo ou impurezas devem ser cuidadosamente removidos das superfícies a serem unidas por cola adesiva. Em muitos casos é recomendável o uso de revestimentos orgânicos delgados (TOC), proporcionando uma melhor superfície para a união por colas adesivas. A compatibilidade da superfície com o adesivo sempre deve ser considerada em cada caso. 

Pintura 

Além de dar a cor desejada ao produto final, a pintura também melhora ainda mais a proteção contra corrosão. Recomenda-se a qualidade de superfície B encruada quando é necessária uma alta qualidade de superfície para a superfície pintada. 

O revestimento de zinco oferece um bom substrato à pintura, contanto que a superfície seja preparada corretamente e as tintas certas sejam usadas. A fim de assegurar uma boa adesão, quaisquer resquícios de óleo ou impurezas devem ser cuidadosamente removidos das superfícies a serem pintadas. O produto pode ser pré-tratado, nas instalações de recepção, por fosfatação à base de zinco ou por um pré-tratamento alternativo, adequado para aços com revestimento à base de zinco, para melhorar a adesão do revestimento.